Feliz de quem tiver uma PEDRA em SAGRES

Palavras-chave | Keywords

"Boca do Rio" "Cabranosa" "Cerro do Camacho" "Concheiro do Castelejo" "Ermida da Guadalupe" "Farol de São Vicente" "Fauna e Flora" "Fortaleza de Sagres" "Forte de Almádena" "Forte de Beliche" "Gentes & Paisagens" "Geologia e Paleontologia" "História do Mês" "Martinhal" "Menir da Lomba da Góia" "Menir de Arneiros" "Menir de Aspradantas" "Menir de Bem Parece" "Menires de Milrei" "Menires de Santo António" "Menires de Vila do Bispo" "Menires do Monte dos Amantes" "Menires do Padrão" "Paisagens de Vila do Bispo" "Pedra Escorregadia" "Tales from the Past" "Vale de Boi" "Vale de Gato de Cima" 3D Abrigo Antiguidade Clássica Apicultura ArqueoAstronomia Arqueologia Experimental Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Arqueologia Subaquática Arquitectura arte Arte Rupestre Artefactos Baleeira Bibliografia biodiversidade Budens Calcolítico Carta Arqueológica de Vila do Bispo Cartografia Cetárias Cista CIVB-Centro de Interpretação de Vila do Bispo Complexo industrial Concheiro Conservação e Restauro Descobrimentos Divulgação Educação Patrimonial EPAC Escolas & Paisagens de Vila do Bispo Espeleo-Arqueologia Estacio da Veiga Estela-menir Etnografia Exposição Farol Figueira Filme Forte Grutas Homem de Neandertal Idade Contemporânea Idade do Bronze Idade do Ferro Idade Média Idade Moderna Iluminados Passeios Nocturnos Ingrina Islâmico Landscape marisqueio Medieval-Cristão Megalitismo menires Mesolítico Mirense mitos & lendas Moçarabe Moinhos Museologia Navegação Necrópole Neo-Calcolítico Neolítico Neolítico Antigo Paleolítico Património Edificado Património natural Património partilhado Pedralva Pesca Povoado Pré-história Proto-história Raposeira Recinto Megalítico/Cromeleque RMA Romano Roteiro Sagrado Sagres Salema São Vicente Seascape Toponímia Vila do Bispo Villa Romana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Investigação arqueológica nas grutas marinhas da costa de Vila do Bispo


Uma equipa de investigadores da Universidade do Algarve vai realizar uma segunda campanha de campo, de 22 a 25 de junho, com a finalidade de identificar e avaliar o potencial arqueológico, hidrodinâmico e geológico de novas grutas marinhas na região de Sagres, cuja iniciativa decorre no âmbito do PaleoCoast (Adaptações humanas costeiras durante o Paleolítico no sudoeste Peninsular), um projeto coordenado pelo Centro Interdisciplinar de Arqueologia e Evolução do Comportamento Humano (ICArEHB) e pelo Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da UAlg.
Durante a referida campanha serão realizados levantamentos cartográficos, recolha de amostras e de imagens fotográficas e ideográficas dos trabalhos exploratórios das grutas marinhas ao longo da costa de Sagres, sendo de recordar que na primeira foram identificadas várias reentrâncias na rocha que serão agora exploradas.
A equipa do ICArEHB é constituída por Nuno Bicho, João Marreiros (coordenador da área da Arqueologia) e Frederico Tatá Regala; Duarte Duarte, coordenador da área da hidrodinâmica, geologia e das operações de mergulho científico, integra a equipa do CIMA, bem como Tiago Dores e João Santos. Aos investigadores da UAlg junta-se ainda Ricardo Soares, arqueólogo da Câmara Municipal da Vila do Bispo.
Refira-se por último que este projeto conta com os seguintes consórcios: Associação de Arqueologia do Algarve; Câmara Municipal de Vila do BispoArqueofactory; Cátedra UNESCO UAlg em Ecohidrologia: Água para os ecossistemas e sociedades; Federação Portuguesa de Atividades Subaquáticas (FPAS); e Confederação Mundial de Atividades Subaquáticas.

Gruta do Zambujal - Ponta da Torre (Raposeira)

No passado dia 10 de junho, no desenvolvimento dos trabalhos de prospecção promovidos desde 2014 no âmbito do projeto municipal "Carta Arqueológica do Concelho de Vila do Bispo", foi encetada uma nova frente de investigação dirigida às cavidades cársicas, às grutas do nosso território. 
Para o efeito, a título exploratório, reuniu-se uma pequena mas bastante experiente equipa de espeleólogos originários da Serra da Arrábida, nomeadamente Rui Francisco (Loia), Alfredo Luís Saloio e o próprio arqueólogo do Município de Vila do Bispo, Ricardo Soaresantigos companheiros de sistemáticas prospecções espeleoarqueológicas para a Carta Arqueológica de Sesimbra e Carta Arqueológica de Setúbal.
Neste nosso 1.º dia de exploração nas paisagens calcárias de Vila do Bispo, abordamos algumas cavidades previamente identificadas na costa sul, balizadas entre a Ponta da Torre e a praia do Barranco (Raposeira).
O interesse pelas grutas e outras cavidades prende-se, sobretudo, com o seu imenso e inexplorado potencial arqueológico enquanto depósitos de artefactos e de outras manifestações culturais de outrora. Suscitado por Estácio da Veiga nos finais do século XIX, o interesse pelas grutas do Concelho de Vila do Bispo ainda não se consubstanciou na forma de investigação sistemática, sobretudo pelas particulares dificuldades deste tipo de abordagem e pela ausência de um grupo local organizado.
Utilizadas enquanto abrigos, necrópoles e santuários, as grutas preservam excepcionais registos da sequência de ocupação humana do território envolvente. Além dos vestígios arqueológicos, a Espeleologia, enquanto ciência do submundo cavernícola, observa e regista outras realidades de ordem natural, como a própria geologia, espeleogénese e desenvolvimento das cavidades e a biodiversidade que, de forma esporádica ou permanente, nelas se instala. Estudos arqueobotânicos também permitem reconstituir paleoambientes, ou seja, compreender a evolução das paisagens naturais com base nos vestígios de sementes e de pólens conservados em depósitos sedimentares de grutas.
Os resultados destes dois primeiros dias de exploração espeleoarqueológica no Concelho de Vila do Bispo foram expectavelmente positivos, averbaram novos sítios e achados arqueológicos à base de dados da Carta Arqueológica e confirmaram o imenso potencial das sua cavidades cársicas - privilegiados repositórios de História Natural e Humana...


















Obrigado Loia e Luís pelo vosso inestimável apoio e incondicional amizade !!!

Complexo Cársico de João Vaz (Raposeira)

Na continuidade da notícia anterior, a tarde deste 1.º dia de exploração espeleoarqueológica (10 de junho) na costa sul do Concelho de Vila do Bispo foi dedicada, sobretudo, à área do incrível complexo cársico de João Vaz, a poente da praia da Ingrina.
Nestas preliminares incursões em paisagens cársicas de Vila do Bispo, a competente equipa espeleoarqueológica, constituída por Rui Francisco (Loia), Alfredo Luís Saloio e Ricardo Soares, recuperou experiências e metodologias desenvolvidas em anteriores projetos, designadamente na Carta Arqueológica de Sesimbra e na Carta Arqueológica de Setúbal.

Um dos raros ninhos de Cegonha com "vista-mar" apenas existentes 
na costa sul do Concelho de Vila do Bispo e na Costa Vicentina

Grutas da Ribeira de Barão (de São Miguel)

Na continuidade de anteriores notícias, no passado dia 11 de junho uma equipa de espeleoarqueólogos, formada por Rui Francisco (Loia), Alfredo Luís Saloio e Ricardo Soares, encetou investigação dirigida às cavidades cársicas do Concelho de Vila do Bispo, recuperando para o efeito experiências e metodologias adquiridas em anteriores projetos, designadamente na Carta Arqueológica de Sesimbra e na Carta Arqueológica de Setúbal.
Neste nosso 2.º dia de exploração dedicámos a nossa atenção à freguesia de Barão de São Miguel. Desde 2014, no âmbito do projeto municipal "Carta Arqueológica do Concelho de Vila do Bispo", muitos têm sido os relatos recolhidos junto da comunidade de Barão relativos a grutas, morcegos, zorras e pulgas!!! Hoje praticamente esquecidas, estas cavidades constituíram noutros tempos incríveis espaços de aventuras para os jovens que seguiam a Ribeira de Barão até encontrar as misteriosas covas...
Recuperando este já esquecido percurso, conseguimos identificar uma série de cavidades atualmente ocultas por densa vegetação e pela ausência de tradicionais atividades como a agricultura e o pastoreio.
Este 1.º fim-de-semana espeleoarqueológico confirmou o imenso e ainda latente potencial cavernícola do Concelho de Vila do Bispo. Nos próximos tempos novidades espeleoarqueológicas serão justamente partilhadas com a comunidade local e científica...

Notícia sobre uma miniatura de machado de fibrolite polida descoberta em Vale de Boi

A ‘História do Mês consiste numa iniciativa expositiva do Centro de Interpretação de Vila do Bispo iniciada em janeiro de 2015 onde, mensalmente, se apresenta um objeto e um associado discurso informativo. Além da divulgação, valorização e partilha de determinados apontamentos e curiosidades da memória coletiva do território, pretende-se, com esta iniciativa, provocar hábitos de visita ao nosso equipamento cultural.

Para o mês de maio reservámos uma história construída com o precioso contributo da comunidade local, em particular de uma criança do 1.º Ciclo do Centro Educativo de Budens, de nome Vicente dos Reis Viana. Numa das recentes Aulas de Enriquecimento Curricular - “Património Local”, dedicadas à Arqueologia do Concelho de Vila do Bispo, o Vicente partilhou com o seu “professor”, o arqueólogo municipal, uma pedrinha que carinhosamente guardava entre os seus tesourinhos de criança. A pequena pedra foi encontrada na zona de Vale de Boi pelo pai do Vicente, Nuno Viana, que, num dos seus domingos de caça, nela reconheceu particular interesse, diferenças de aspeto artefactual, de autoria humana, impossíveis de reproduzir por ação natural. Recolheu o objeto e ofereceu-o ao seu filho de 9 anos, um pequeno apreciador de pedrinhas, rochas, minerais e fósseis... de coisas especiais, de coisas antigas. Em plena aula e na palma da mão, arqueólogo e crianças examinaram a pequena pedra, transformando-a de imediato, à luz da análise arqueológica, em legítimo objeto arqueológico, em artefacto pré-histórico, numa peça do Neolítico final/Calcolítico, num legado patrimonial com cerca de 5000 anos!!!

Venha conhecer este precioso achado arqueológico e visite o Centro de Interpretação de Vila do Bispo !!!

II Seminário Potencialidades de um Concelho - o Mar de Vila do Bispo




















Na próxima 6.ª feira, dia 28, terá lugar no Auditório do Centro Cultural de Vila do Bispo o II Seminário Potencialidades de um Concelho que, na sua edição de 2017, será dedicado ao tema O Mar de Vila do Bispo.
Na sua 2.ª edição, esta iniciativa reafirma a missão de transmitir à comunidade loco-regional, em particular aos agentes turísticos, uma série de informações e curiosidades coligidas pela investigação científica e pela experiência no terreno, acerca do território, valorizando-o numa perspetiva de potencial e sustentável exploração turística.
Reserve um lugar na 1.ª fila e explore o vasto e interessante programa proposto... 



contacto da organização do
II Seminário Potencialidades de um Concelho – o Mar de Vila do Bispo
Câmara Municipal de Vila do Bispo
Ricardo Soares
Arqueólogo
+ 351 966 616 527
+ 351 911 808 943
arqueologia@cm-viladobispo.pt

Passeio interpretativo pelas paisagens arqueológicas Budens - Boca do Rio

No passado sábado, dia 22, foram 22 os aventureiros que, ao sabor do vento sueste, exploraram as primaveris paisagens que se desenrolam entre Budens e a Boca do Rio. 
Assinalando o “Dia Internacional dos Monumentos e Sítios”, este foi mais um passeio pedestre de âmbito cultural, um percurso interpretativo organizado pelo Município de Vila do Bispo.
Pelo caminho, crianças, jovens e adultos tiveram a oportunidade de explorar, pela primeira vez, algumas incríveis paisagens observáveis das cumeadas desenvolvidas entre a aldeia de Budens e a praia da Boca do Rio, particularmente ricas em apontamentos naturais e culturais.
Guiado pelo arqueólogo municipal, o grupo expedicionário visitou alguns arqueossítios descobertos na sequência dos trabalhos de prospeção promovidos, desde 2014, para a Carta Arqueológica do Concelho de Vila do Bispo. Pré-históricos, Proto-históricos, Romanos e Medievais, estes sítios arqueológicos foram alvo de verdadeiras prospeções por parte dos participantes na iniciativa, assumindo assim o papel de autênticos investigadores para melhor compreender a importância desta missão para a construção de uma narrativa histórica acerca dos nossos mais remotos antepassados, dos mais antigos ocupantes deste território.